18 de março de 2013

Viva o friozinho

Esse verão foi tão quente e tão suado que eu passei o mês todo de fevereiro, e até semana passada, numa inércia existencial, que culminou com um raio que caiu aqui na vizinhança, e detonou vários equipamentos incluindo a placa de rede do meu super PC lindo, que continua funcionando mas sem internet, coisa básica. Em um dia mais frio, de 15 graus, meu rendimento é imensamente maior, como hoje e ontem, onde trabalhei em duas encomendas super mega providenciais, pois eu andava meio de bola murcha. É difícil manter o otimismo funcionando 100% do tempo, ou pelo menos a aparência de otimismo, o que parece reinar nas redes sociais: todo mundo tem um sucesso profissional-pessoal na estratosfera de acordo com suas realizações, suas viagens, suas casas, seus filhos, carros, empregos dos sonhos (ou empresários de sucesso).  É tudo um imenso jogo que ganha quem posta mais sobre acontecimentos incríveis em suas vidas.
O trabalho manual me ajuda a meditar, a distrair minha mente para além dos probleminhas cotidianos (que geralmente ficam maiores na nossa visão do que realmente o são) e vê-lo valorizado foi como uma terapia, uma cura, para um sintoma que já se tornava crônico em mim. Ver o resultado final, a satisfação de quem adquiriu, é de um valor inestimável, e tendo isso em mente eu trabalho com um prazer imenso em presentear essas pessoas.


De cima para baixo: mais uma Nuala feita, a nova toalha de cozinha Dannyboy e marcadores de livro.
Sou fascinada por aplicativos e gadgets em geral, desde as antigas ferramentas do blog, e agora os apps de smartphones. Jogos não me atraem (porque a bateria do celular já dura tão pouco!) mas aplicativos de fotos, redes sociais, rádio e podcasts, tem sido meus favoritos. No link ao lado está minha estação favorita, que descobri usando o TuneIn. O mundo seria perfeito SE não fosse nossa maravilhosa rede de telefonia caduca e manca, que você reza pra ter sinal e quisá conexão com velocidade razoável.
Aquele raio que caiu nos deixou quase uma semana sem telefone fixo, duas semanas sem internet, TV e Blu-Ray queimados. Por um tempo vi como essas pequenas futilidades podem nos tirar do sério, nossos pequenos confortos sumirem de repente, em um fim de semana tedioso, ter que recorrer apenas nos livros. Tento aprender com essas lições que a vida ensina para manter a calma, mas persisto no sonho de manter minha produção ativa, a loja e o blog.
Esse primeiro dia frio me trouxe alegria...
Google+