10 de janeiro de 2013

Matando o Canto da Bagunça.

Depois da calmaria que foi semana passada, guardando pratos, talheres e utensílios "festeiros", eu lembrei do super ataque de organização que tive ano passado, em agosto. Em uma segunda feira, olhei para aquele bar (sim, o velho balcão com suas duas banquetas, totalmente yuppie), todo entulhado de coisas que não tinham nada que lembrasse a real funcionalidade de um bar, tive um surto de limpeza e decidi que no dia seguinte daria um jeito naquilo. É isso que acontece quando você tem muitos cantos, móveis com prateleirinhas, gavetinhas e coisinhas: vai virando um depósito de coisas e que, invariavelmente, ficarão todas empoeiradas e esquecidas, por que ali virou um "canto de bagunça". Por isso escrevi com letras maiúsculas no título, porque o tal canto acaba virando uma entidade na sua casa. Pode ser uma Gaveta da Bagunça, um Armário da Bagunça (um perigo, pois pode se virar contra você e desabar seu conteúdo a cada abertura). Por um lado até que é um ponto positivo ter um local onde você possa refugiar seus pertences em algum momento de urgência (uma visita inesperada que acaba de interfonar "Oi! Tô subindo!"), mas por anos de experiência com bagunças (de diversos graus, tamanhos e formatos) chego a conclusão que é melhor não se acostumar com cantos bagunçados. Pode sim, é legal, ter um canto VAZIO (um armários com alguma repartição vazia, em caso de emergência bagunceira).
Nessa segunda feira eu peguei o pior lugar de bagunça do cosmo, que é meu quarto. Se eu consegui arrumar ele TODO? Não. Mas estou descobrindo maneiras de contornar esse meu problema. A tradicional primeira gaveta da cômoda, que geralmente era usada para "badulaques", papéis, cadernos, cupons, fones de ouvido, remédios, enfim, todas aquelas coisinhas que vão aparecendo na minha frente e vou jogando na tal gaveta. Peguei tudo, me livrei de metade do conteúdo e agora estou usando a gaveta inteira só para meus acessórios. Achei essa divisória de plástico e usei para organizar lenços, echarpes e pulseiras. Como a gaveta é grande, na outra metade forrei com uma fronha avulsa, e coloquei os colares que uso mais (a moda dos maxicolares do verão serão substituídos no inverno por outros mais longos). Assim eu abro a gaveta e acho tudo que preciso, à vista. Mas e a bagunça que por ventura aparecer (e VAI aparecer)? Bom, agora é uma questão de hábito, uma das minhas metas deste ano, de não juntar bagunça por mais de 6 meses.
Se dará certo, vamos ver, mas como qualquer "vício" vou viver um dia de cada vez...



6 de janeiro de 2013

Arrumando a casa

Olá, como vai você? O ano começou (até que enfim) e como esse é o primeiro domingo do ano, resolvi lançar várias novidades. Nada de mais ser domingo, mas é que é o dia da semana mais parado e inerte, somando com uma ventania e chuva iminente, perfeito para tarefas eletrônicas. Primeiro eu mudei todo o visual do blog. Era para apenas mudar o fundo, a cor dos ícones, mas aí uma coisa foi levando a outra, e quando vi, imagens foram surgindo e personagens se formando. Nunca planejei nada, nem tive essas "estratégias de marketing", linguagem visual, etc., e pela primeira vez eu sinto que consegui uma identidade mais próxima do que eu sou, do que a minha marca é (e será). Em seguida, a loja também recebeu fachada e banner novos. Eu estou curtindo pacas.
E o mês de dezembro valeu pelo ano todo, já falei demais nisso, mas eu não canso de lembrar o sucesso que foi. Mas não fiquei o tempo todo em cima dos produtos da loja, em algumas folgas eu customizei uma camiseta para o Reveillón, fiz um quadro negro com tinta especial (o velho eucatex ganhou vida nova!) e seguem alguns registros festivos pelo Instagram. Clique nas imagens para visualizá-las maiores e FELIZ 2013!

Mais um pedido!
The Amazing Pocket Macumbas

E de surpresa, um brinde especial para cada cliente

E o monte de pimentas, amuletos, ervas e incensos que usei para a virada do ano. Particularmente, de novembro a dezembro, foram alguns eventos bizarros que aconteceram e eu quis usar todos os artifícios religiosos e místicos possíveis (sim, eu boto fé em tudo!):

Todos os berloques do cosmo, juntos.

Arranjo de mesa para o Ano Novo.

Busca Vida, maravilha de drink, com pimenta e alecrim.

Ah, os outros crafting moments de dezembro, foram bem legais e já bem usados até o momento:

O quadro negro instantâneo

A blusa do Réveillon de 2011 renovada com brilhos.

Era uma camiseta já pintada à mão, há 15 anos, que ganhou muito mais cor.




Google+