15 de fevereiro de 2012

Eu e o crochê

Sempre achei que certas coisas só se aprende quando é criança: piano, balé e crochê. Pois não é que aos 37 resolvi aprender crochê, e consegui? comecei assistindo o tutorial das pulseiras de crochê na corrente e comecei a treinar os pontos básicos (e a tentar decifrar os símbolos de cada ponto, nossa, isso é braille total!). Depois de tentativas frustradas, círculos sem começo e fim, carreiras que começavam com 15 pontos e misteriosamente terminavam com 12 (nesse momento, após desmanchar pela 3ª vez, eu quase bati a testa na parede, mas persisti e fui à luta!). Pois eis minha primeira peça, um tanto polêmica (minha mãe ainda não se convenceu da utilidade de um acessório tão... invernal), minha mug cozy. é uma variação do tea cozy, que são aqueles "cobertores" para cobrir o bule de chá e mantê-lo aquecido. Acoplei um bolsinho, seguindo sugestão do meu assistente para assuntos ingleses, que pode carregar seu suprimento de biscoitos, uma colher, o saquinho de chá, o saquinho de adoçante, açúcar, enfim, o que puder levar. É legal no escritório, sem pingação  na mesa e colheres caindo... Já testei e aprovei, agora vou partir para a combinação de cores...




Google+