31 de dezembro de 2012

Hasta la vista 2012!

Que o próximo ano seja cheio de boas idéias, que essas idéias floresçam, rendam frutos e se realizem. Que todos os sonhos se realizem, ou se for difícil todos se realizarem, que os principais e mais urgentes o façam. Que as pessoas assistam menos TV, leiam mais, tricotem mais, pintem mais. Que as crianças brinquem mais, que o adultos também brinquem mais, mas não de videogame. Permita-se ser mais ridículo para que possa se divertir mais com si mesmo. Use o trabalho manual para ter mais qualidade de vida e higiene mental, sejam felizes. que todos tenhamos um ano sensacional. FELIZ 2013!

21 de dezembro de 2012

Natal (quase) sem surto - parte 2 - Epílogo

Duas coisas aconteceram neste mês: uma muito boa e a outra meio ruim, sem ser o fim do mundo (opa, trocadilho). A ruim é que eu não postei o quanto planejei sobre como organizar as festas se fim de ano (e mesmo sabendo que isso seria um exercício de reflexão totalmente pessoal, já que no final tudo acaba saindo do jeito que tem que ser). Então, não foi uma tragédia tão grande, espero. A coisa linda, fofa, maravilhosa, magnífica, que aconteceu, foi dezembro ter começado (e continuando desse modo) como o mês mais produtivo que eu já tive. As Pocket Macumbas tem sido um incrível sucesso, vendi muitas e continuo fazendo até agora! Eu sinto, espero, desejo, tenho muita esperança, que isso seja uma prévia do que virá em 2013, e que serviu para que eu recobrasse minha fé em meu trabalho e nas minhas idéias.
----- Sexta feira: o não-fim do mundo, quase sendo, na fila dos Shoppings-----
Aviso aos otimistas: você tem um pouquinho da noite de hoje, ainda, pra resolver seus presentes, amanhã, depois de amanhã e na segunda, também. Se você se organizar um pouco conseguirá resolver tudo amanhã de manhã (antes do temporal) e mais importante que presente, é a ceia de Natal. Sábado faça o máximo de compras (frutas, muitas frutas, o peru/frangão/tender/carne natalina de sua preferência, saladas, muitas saladas). Descanse à noite, não se estresse, tome uma cerveja, encontre os amigos, não leve tudo tão a sério. Se for sortuda(o) você poderá contar com ajuda de outras pessoas para fazer os pratos. Sempre digo que nada é mais feio do que chegar de mãos vazias à casa do anfitrião, não custa nada levar uma garrafa de vinho, sua cerveja (gelada, por favor) ou refrigerante. Se você não faz nem ovo frito, tudo bem, mas não use isso como desculpa, passe numa padaria e leve uma torta gelada, um pote de sorvete que seja, mas leve alguma coisa legal, que todos gostem. Se você for muito fofa, vai levar um prato pronto (as massas caseiras da rotisserie do bairro). Se você for muito, mas muito fofa, você vai fazer um prato legal, aquela receita de família. Não é ser chata, mas sinceramente, chega um dia em que você precisa encarar o fato de que não será sua mãe que ficara na cozinha, se você quiser uma ceia, VOCÊ terá que encarar o desafio. Não tem jeito mesmo? Vai ficar sozinho ou não quer mesmo se incumbir dessa tarefa? Tudo tem solução: arrebanhe mais "avulsos" pelo Facebook, organize um Natal entre o grupo, e decidam quem-faz-o-quê. Ninguém tem que saber tudo na cozinha, mas vale a ajuda das pessoas, enquanto um se encarrega das panelas e assadeiras, outros podem ajeitando a mesa, cuidando da playlist, enchendo os copos, picando e descascando os ingredientes. Natal, no final das contas, é a reunião de pessoas que se gostam, que criem uma reunião super agradável, saindo do jeito que for (o peru queima, a farofa é seca, mas o espumante gelado e a conversa garantem a diversão).
Desejo um ótimo fim de semana pré-Natal e, calma que tudo dará certo no final!

12 de dezembro de 2012

Boas energias!

Oficialmente tudo começou no 11 de novembro de 2011, e nada mais justo do que reafirmar esse sonho neste dia tão falado, hoje. Pelas redes sociais ouvi de muita gente que 2012 foi um ano muito difícil e concordo com todos; foi difícil, foi de uma inércia insuportável em certos momentos, mas também foi um ano de ruptura.
-----
Agora eu entendo que eu tive que passar uma grande decepção em março para que o resultado daquele acontecimento se refletisse agora, em um sucesso tão maravilhoso, tão sonhado! Se aquele projeto não deu certo, não era nem pra começar, o melhor que poderia acontecer era justamente acontecer de uma forma que me "vacinasse" contra qualquer outra possibilidade de qualquer projeto similar. E agradeço a Deus, porque nós pedimos, mas receberemos na hora certa, e não na hora que nós achamos ser a certa. Valorizo muito as poucas, mas profundamente importantes, ajudas que recebi de poucas pessoas na minha vida, mas pessoas não menos importantes. Mas acredito na ajuda verdadeira, aquela que vem do coração e, era essa que mais precisei. Agora encerro esse capítulo, com muito apoio das pessoas queridas e, tendo a confiança necessária pra continuar o caminho, mas do meu jeito. Acredite nos sonhos, acredite nas idéias, por mais absurdas que sejam, pois elas podem se materializar em algo que poderá agradar muita gente. Sucesso a todos!
-----


20 de novembro de 2012

Natal Sem Surto, parte 1 - As Compras

O feriadão de 15 de novembro já terminando, o calor de verão dando o ar da graça deixando os animais de casa estatelados pelo chão... Hum, verão? Meu Deus, dezembro!
Sempre sofri uma pequena agonia besta quando novembro nem chegou, sei lá, fim de ano mexe comigo de uma certa maneira e, enquanto a maioria das pessoas fica feliz e saltitante, eu fico mais na encolha. Tenho minhas razões pessoais pra ter memórias meio sinistras Natalinas, mas quando finalmente relaxo e vejo o lado bom da data. Sim, Natal é movido a consumo e a famosa ceia, não tem como fugir muito disso, mas tendo em mente novas alternativas para ambos, você verá que esse mês passara indolor.
Tendo em vista esses dois fatores, compras e ceia, vamos começar pelo o que dá mais trabalho e pode ser "preparado" de antemão (e quanto mais antes, melhor): os presentes! Assim sobra tempo pra se dedicar à sua sauna caseira (é, sauna mesmo, minha primeira ceia foi feita num dia 24, com um calor de 37 graus, além do forno ligado... uma beleza).

O Maravilhoso Mundo das Listas!
Sim, faça listas. Não importa se forem anotadas num caderninho, bloquinho, guardanapo (desde que não perca por aí), ou usando recursos mais modernos (pra quem curte um gadget, como eu), usando sua agenda no Google, sincronizada no smartphone, ou qualquer aplicativo que te ajude a controlar nomes e itens já feitos. Enfim, faça listas, escreva os nomes das pessoas por ordem de importância (sim, claro, não vai arcar com o mesmo valor pra todo mundo, a não ser que você seja o Eike Batista) e com uma estimativa de quanto você pode gastar. Distribua as pessoas em grupos, como estes exemplos:

  • Primeiros da lista: pai, mãe, esposa, irmão,marido, namorado (a), SOGRA (nossa, põe essa no topo, pelo amor de Deus) tem um peso extra, certo? Esses são os nomes prioritários, merecem uma porcentagem maior no seu orçamento natalino. São aqueles que se você não der nada, vai pegar muito mal.
  • Secundários: o melhor amigo(a), sobrinhos (desde que sejam poucos, senão, melhor colocá-los no grupo seguinte), cunhados,  pessoas que tem também uma grande importância na tua vida, mas, sabe como é, tem que distribuir melhor a verba. 
  • Terciários: a galera das lembrancinhas. Geralmente inclui-se aí colegas de trabalho, o professor de idiomas, a sua professora de ginástica, profissionais que te prestam serviço, e por aí vai. Essas separações é por apenas uma razão financeira, como eu disse antes, mas dependendo de como é feita, melhor mantê-la longe do público. Vai que alguém do trabalho olhe na sua agenda e veja que está em uma quinta categoria, dos que ganharão uma balinha 7 Belo.

O importante de se organizar nesse sentido é evitar a proximidade do Natal, lembrem-se que verão não perdoa, se você quer economizar e bater perna na 25 de março (ou Saara, no Rio de Janeiro), leve um chapéu, use tênis confortável, carregue uma garrafinha de água e carregue muita paciência também. Os Shoppings ficam lotados, o trânsito fica terrível... Sabe qual a melhor saída? Compras online! E melhor ainda, procure trabalhos artesanais, existem sites exclusivos de crafts bacanas e idéias incríveis para o Natal (Elo7, Tanlup). Além de adquirir um produto único, produzido com carinho, você ainda contribuirá para o Natal de quem produziu a peça :D
E como recomendação final, mantenha a calma, deixe as crianças em casa com o marido, faça isso o quanto antes, pois assim evitará de chegar no dia 24 com aquele sorriso amarelo, vendo que na correria esqueceu do presente da sogra...

19 de novembro de 2012

Ai, novembro...

Aproveitando o feriadasso mega pra atualizar a loja, postar produtos novos e começando com a Pocket Macumba, que está com um preço ótimo para as lembrancinhas de fim de ano. Mas corra porque a tiragem é pequena, as próximas terão estampas e tecidos diferentes (ainda não definidos). E pra te inspirar nas compras de Natal, segue uma trilha bem lounge para o seu tour pelo Elo7, porque melhor espírito natalino é comprar de quem produz com as próprias mãos, não é mesmo?



5 de setembro de 2012

Feiras e uma Bienal do Livro

Foram dois eventos que me trouxeram  fé na veia crafter e, quisá, empreendedora: a já mencionada Mega Artesanal (em junho) e a mais recente, CraftDesign, voltada para lojistas. Como boa cara de pau que sou, consegui uma credencial mesmo não tendo CNPJ (por enquanto, óh meu Pai...). Cara, eu pirei no home decór! Bem ali no Centro de Convenções Frei Caneca (dentro do Shopping), super organizado, e com direito à sacolinha com brinde e um livrinho com todos os expositores. Amei tudo, foi ótimo conversar com as pessoas, e ainda saborear um capuccino sentada numa poltrona-luminária (!!) maravilhosa. E na volta, subindo até a Av. Paulista, uma passada no Conjunto Nacional, no meu point favorito: Livraria Cultura.
Um fim de semana antes: Bienal do Livro. Loucura, loucura ensandecida, total madness. Fila pra tudo: fila para o ônibus gratuito (saindo da estação Tietê), fila para comprar ingresso, fila para entrar, fila para o banheiro, fila para o stand da Comix, fila pra... Hein? A COMIX!!! Para tudo! Fui logo entrando esperando minha vez. Je-sus, tinha as edições especiais de Sandman encadernadas, Lúcifer e As Fúrias (que eu havia comprado alguns anos atrás, em edições avulsas, e a coleção estava incompleta). Essas duas últimas HQs são escritas por outros autores, usando personagens criados por Neil Gaiman. Gente, desculpe, esqueci de dizer que eu sou fã da obra de Neil Gaiman, um cara que consegue trilhar por ficção, histórias em quadrinhos, roteiros de seriados de TV (X-files e Dr. Who), romance e literatura infantil (que se rotulado como infantil, apenas, é muito injusto). Bom, passando o momento tietagem na Comix, enfrentei um mar de pessoas, num calor de 30 graus, até a Editora Senac, onde os livros estavam com 30% de deconto. Vi de longe o Panelinha da Rita Lobo e já agarrei o meu exemplar. Também sou fã do trabalho dela desde os tempos da Revista da Folha, adoro o jeito como ela fala, sem frescuras e jargões gourmet, ao mesmo tempo em que se percebe como ela gosta de cozinhar e de contar suas histórias pelo mundo. É um livro diferente, não só com as receitas mas com dicas e ajudas muito legais (como o que comprar no supermercado, o que não pode faltar na geladeira, na despensa e os utensílios básicos da cozinha, entre outras dicas).
E, para terminar, e não fugir do tema crafter, segue uma das badejas que comprei na Mega, na minha primeira pintura cowntry autodidata (ou "faça na marra, se vira") e primeira caixa de MDF forrada (com tecidinho de matrioska, direto do acervo). Bons trabalhos, passeiem mais que idéias é que não faltam por aí e viva Sampa (ou viva a cidade que você vive e curte :P)!





3 de agosto de 2012

31 de julho de 2012

O avental crafter

Julho foi um mês cheio de altos e baixos, com dias de muita "ação artesanal" e outros mais parados por razões domésticas (a odisséia do telefone fixo do bairro inteiro sem funcionar e por aí vai). A Mega Artesanal foi o máximo, fui quase todos os dias e me acabei de tanto andar! Peguei dicas valiosas, conversei com muita gente bacana e fiz muitos cursos (graças às minhas primas crafters que levaram um guarda-roupa de agasalhos para doação: era o ingresso pra cada workshop). Ah, claro, tive meu momento de tietagem depois da palestra da Rita Paiva no stand da Elo7, a revista Make é simplesmente inigualável, se você quer inspiração é nela que você encontra alguma imagem bonita que te dê asas à criatividade.
Bom, voltei cheia de inspiração e idéias de projetos, decidi usar uns paninhos beeem antigos, qu eminha mãe usava pra fazer bonecas, e confeccionar meu avental. O tutorial do SuperZiper foi o que me motivou e vamos lá brincar com a Singer nossa de todo dia. Quis deixar o desafio ainda maior e me aventurei no patchwork, já que eram 3 tecidos de mesmo padrão. Ah, e aprendi um truque que vai valer pra vida inteira agora, para franzir o tecido sem drama: pegue um pedaço grande de fio dental (isso mesmo!) e posicione no local a ser franzido, passe uma costura zigue-zague bem grande, mantendo o fio dental bem no meio da costura, de modo que prenda o fio dental no meio da costura para depois puxá-lo. Depois é só pegar uma das extremidades do fio dental, e com uma agulha de tapeçaria, dar um pontinho no tecido, para que não escape quando for puxado. Aí é pegar o outro lado do fio dental, puxar sem medo de arrebentar seu franzido! Deu pra sacar? Verei se consigo me virar com câmera e máquina do costura ao mesmo tempo pra mostrar como se faz, mas vejam como o avental ficou:


Kick ass on monday

Não se se existe algo mais lento do que uma segunda feira nublada, fria e, claro, uma segunda feira. Enquanto adianto umas fotos dos trabalhos recentes, compartilho uma mixtape genial que levanta a moral e dá um pontapé nos traseiros mais preguiçosos... Mas só para adiantar um pouco, fiz um avental em patchwork com a super Singer, companheira de guerra, e uma bandeja para cupcakes, em pintura cowntry (minha primeira vez nessa técnica, ui).

25 de junho de 2012

Junho e as festinhas

O outono já inicia uma época do ano que eu adoro, pois amo um friozinho, mas o início do inverno, coincidindo com as festas juninas, meu Deus, eu me realizo. E na falta de uma festa junina nas proximidades, decidimos improvisar uma aqui em casa, mas com o mínimo de elementos que caracterizassem uma festinha típica: vinho quente, bolo de fubá (que acabou sendo esquecido em cima do microondas! Veio o bolo de cenoura da cunhada para entrar em cena) e docinhos de abóbora e beterraba (os únicos comprados prontos). Eu quis experimentar uma receita que vi no programa da Nestlé, de brigadeiro de Farinha Láctea. Uma delícia, e super rápido de fazer, fácil, fácil... E o vinho quente foi receita do Panelinha, onde dei um toque de cardamomo também, abri cada um e usei as sementinhas marrons.


Mais cupcakes de limão, sanduíches de carne-louca e a vela pra  substituir a fogueira

4 de junho de 2012

Music monday

Um pouco de inspiração pra vocês, ainda no humor pós-Parati e pós-Galeria do Rock, onde comprei essa coletânea do Sergio Mendes. Passei a tarde ouvindo essa trilha, fazendo umas costuras de emergência, remendos aqui, botões que caíram acolá, e ainda faltam as bijuterias da minha mãe, que teimam em soltar nas argolinhas. Sei que seria melhor um player aqui mesmo mas ando pesquisando aplicativos e afins, é difícil achar alguma coisa boa, bonita, e, claro, de graça. Ainda farei meu podcast pra valer...



23 de maio de 2012

Fim de férias

Depois de mais uma maravilhosa temporada em Parati, estou de volta com a bagagem cheia de inspirações. Ouvir uma boa bossa nova  na hora do almoço, naquele restaurante pequenino, super aconchegante, que tocava um CD do Sergio Mendes, ou o inesperado samba de roda encantando nossa tarde, na beira da praia, tomando cerveja... sons muito inspiradores. Sentir o cheiro da brisa do mar, do rio Perequê-Açu, da cera perfumada que os moradores usam nas casas coloniais, o aroma delicioso de arroz e feijão feitos na hora, a chuva que lava as ruas de pedra. Cores lindas do artesanato local, das casinhas e suas janelas e portas coloridas, os tons de verde da paisagem, se tornando amarronzada e azul quando ficam mais distantes. O tato sendo testado a cada vacilada nas ruas de pedras escorregadias, desafiando a gravidade (e a minha pobre coluna!), bancos de madeira, a maciez dos pelos do cachorro que te adotou como companhia, na praia, ou do afago no cangote do gatinho da pousada. O gosto da cachaça local, envelhecida, que desce como veludo na garganta, os sabores das comidas caseiras, da cerveja super gelada num dia de sol. De todos os sentidos, ainda acrescento o encanto local, dos moradores que sempre te atendem com um sorriso.
Volto à cidade de pedra com a alma renovada pelo olhar do estrangeiro, que me ensinou a ver os encantos nos detalhes e paisagem no céu esbranquiçado pela poluição. Passando pelo centro, ouvimos um homem tocando Garota de Ipanema no saxofone, era um sinal de que o encanto depende de quem o vê. Espero poder contribuir para metrópole, trazer um pouco de encanto também.




7 de maio de 2012

Bom dia, porra! Agora sim...
Ótima semana a todos, crafters e simpatizantes :D

30 de abril de 2012

Music mondays yeah

Algumas meiguices para começar bem a semana. Sucesso, bons trabalhos, garra, é isso aí, fé na vida e pé na estrada!

23 de abril de 2012

Arrumação lounge

Estou arrumando as malas e evitando a ansiedade com uma trilha bem lisérgica. Boa semana, que seja muito produtiva para todos nós!

16 de abril de 2012

O rei dos bolos

Ou melhor, a rainha, porque este bolo foi criado em homenagem à rainha Vitória, então imaginem a grandiosidade, a responsabilidade de criar algo que levaria o nome da sua rainha. As imagens falam por si só...
E o recheio, não menos grandioso, de lemon curd (o sabor muito parecido com o de uma baba de moça) para variar do clássico recheio de geléia de framboesa. E o que tem  isso a ver com crafts? Tudo a ver com artesanal, feito à mão, com carinho, ingredientes frescos e "reais" (aqui ovo é ovo, vindo da galinha, não é em pó, por exemplo, porque hoje em dia as coisas foram facilitadas até demais para o meu gosto), com cheirinho de bolo pela casa enquanto assa, as conversas na cozinha, todo o processo de separação dos ingredientes, untar e forrar as formas... Estou amando testar essas receitas incríveis vindas do outro lado do oceano, enviadas por alguém muito especial como presente de aniversário <3

Ladies and gentlemen, the amazing Victoria´s sponge cake

Receita mais do que especial, poderá ser divulgada quando o blog atingir 50 seguidores ;P

10 de abril de 2012

Cachecol fail e a gola que deu certo

Como vocês sabem eu sempre busco usar materiais de que disponho em casa, o que não é pouca coisa, já que são dois acervos juntos: o meu e o da minha mãe crafter. Tenho sorte de ter uma mãe que fez praticamente de tudo (costura, tricô, crochê, tear, pintura em porcelana, cerâmica, silk screen, fora a área culinária que é tão vasta quanto!). Para nós sempre foi a coisa mais normal ter tudo, desde ferramentas (ah, sim, meu pai também tem um acervo, dos tempos da oficina de madeira, que ele fez vários móveis grandes), grampeador Rocama, pirógrafo, cavalete, qualquer utensílio com nome estranho, ali tem.
Pois eis que estou usando lãs que fazem parte desse acervo maluco, novelos de lã que devem ter mais de 30 anos, mas que são uma raridade de lã de algodão 100%, sem poliéster, sem acrílico, só algodão. Essa história toda só pra chegar no cachecol FAIL, que aconteceu justamente por não haver a quantidade exata de material e como eu sou crochet noobie, novata no assunto, confiei no olhômetro e me ferrei, o que pude fazer para não perder a peça foi fazer uns pontos "experimentais" nas extremidades para dar o arredondado de uma gola. O truque eu peguei em uma revista japonesa (as melhores, nem precisa saber a língua, as ilustrações são tão bem feitas que você consegue entender tudo), e é uma série de 2 pontos de cada (baixíssimo, baixo, alto, muito alto, "alto pra caramba") que é para dar a curvatura da gola, ou o que seu projeto for. Terminei com uma corrente em fio duplo (fica bem gordinho e reforçado) e dois pompons. Ah, meus primeiros pompons!
Gente, que felicidade ver que funcionou! Agora eu posso usar qualquer blusa e manter o pescoço aquecido, se não quiser usar um volume muito grande, e vale até um broche pra dar um chablau.

Pompons nunca te deixam triste!

4 de abril de 2012

Ataque de tendências

E o outono chegou, as revistas de março já com todas as referências de outono/inverno pós SPFW, e o que foi dito 6 meses atrás na Europa (afinal, o planeta roda pro lado deles). As estampas de bicho, o color blocking continua, o docksider que voltou (no meu tempo era o máximo ter um par de Samello, ui, eighties!), o loafer continua, o oxford continua, a cintura alta super chique (graças a Deus), o victorian look com rendas, o punk cheio de couros... Esses dois últimos estilos me inspiraram para estes dois acessórios de pescoço que fiz. O laço dândi foi feito à partir de um enfeite de um vestido de formatura lááá dos bons tempos de colégio, que minha mãe fez, e em uma dessas arrumações de armário, ressurgiu das profundezas do armário sem fim. Encontrei uma renda aqui, um laço de cetim acolá e, pimba, surgiu um acessório bacana pra quebrar um look boyish dessa camisa masculina xadrez. O outro acessório, a gola-colar "punk romântica" para quebrar um decote mais profundo, dar uma força para a camiseta branca básica, etc.. Acho bacana usar acessórios não metálicos, ou sem correntes, para não correr o risco de estragar a malha de tricô, ou para complementar uma gola alta (sim, por que não...). Mas vale lembrar que o importante é utilizar aquilo que está encostado há anos, seja um laço, uma renda, um broche de pedrarias, fazer uso de agulhas e linha, e pronto! Um visual novo se cria e renova seu look.

Victorian/goth/dandi... it´s up to you

Punk romantic/Glam lace

19 de março de 2012

Feliz Dia dos Crafters!

Eu só soube quando virei a página da agenda (de papel, sim, eu uso!) e me deparei com o lembrete "dia do artesão". Engraçado, depois de tantos anos tendo hobbies diversos, eu nunca me vi como artesã (mais hype dizer sou crafter), e hoje eu não me envergonho nem um pouco. Agora é bacana e descolado fazer algum artesanato, o crochê e tricô voltaram a aquecer mãos desocupadas, as pessoas começaram a customizar mais seus móveis, objetos e roupas. Talvez por um sintoma da economia global, ou quem sabe pela influência mais estrangeira (lá fora o handmade é mais valorizado do que aqui). Não importa a razão, o que importa é que as pessoas estão dando mais valor ao vintage e desenterrando suas preciosidades do porão, reciclando, pintando, costurando e fazendo arte!
Hoje estive a pintar um porta canecas de MDF, faz tempo que não manuseava pincéis e tintas, mas foi só passar o primeiro minuto que a prática voltou à tona. Foi muito bom, amanhã farei uma bandeja, e quando estiverem prontas eu, claro, postarei aqui. Tantos pensamentos ocorriam enquanto trabalhava, lembranças de uma semana que passou, e que foi terrível em certo sentido, pois vi um sonho indo embora (ou forçosamente tendo que ser engavetado). É difícil sonhar com algo que não depende só de nós mesmos, mas da boa vontade de outra pessoa, e se de repente acontece uma falta de diálogo, ou mesmo idéias que não combinam, e tudo vai por água abaixo... É foda. Desculpem o ar deprê mas eu tinha que soltar esse peso, e dar valor ao que eu tenho aqui e agora, ao que posso fazer, e ao que talvez seja necessário acontecer apenas no futuro, e que agora ainda não seja a hora. Façamos o melhor por nossas famílias: um crochê no sofá junto com seu pai, vendo TV, uma bandeja para enfeitar a hora do cafezinho com a mãe, um mug cozy pro seu querido tomar um chá quentinho, uma mantinha pro seu animalzinho de estimação, por aí vai...
Feliz Dia do Artesão!

26 de fevereiro de 2012

Crochet attack - part 2

Pois é, continuando nas agulhas... só preciso passar lá na 25 de março para comprar umas agulhas Tulip emborrachadas que parecem ser super ergonômicas, vi na loja virtual da Aslan.
O mug  cozy rendeu mais um, com lã dupla vermelha e rosa (pra ficar mais fofinho) e tem um cinza à caminho, que será presente para alguém especial, ops, shhh... E também a pulseira que fiz com um barbante colorido, comprado na Caçula do Rio. Saudades dessa loja, era a Meca do artesanato, um dos meus passeios favoritos era andar pela Saara quando eu morava no Rio. Enfim, já pensei no próximo projeto Outono-Inverno e que entrará na lojinha virtual com muito orgulho (assim espero! empolgação de iniciante, né?).



Mug cozy fuck yeah!

15 de fevereiro de 2012

Eu e o crochê

Sempre achei que certas coisas só se aprende quando é criança: piano, balé e crochê. Pois não é que aos 37 resolvi aprender crochê, e consegui? comecei assistindo o tutorial das pulseiras de crochê na corrente e comecei a treinar os pontos básicos (e a tentar decifrar os símbolos de cada ponto, nossa, isso é braille total!). Depois de tentativas frustradas, círculos sem começo e fim, carreiras que começavam com 15 pontos e misteriosamente terminavam com 12 (nesse momento, após desmanchar pela 3ª vez, eu quase bati a testa na parede, mas persisti e fui à luta!). Pois eis minha primeira peça, um tanto polêmica (minha mãe ainda não se convenceu da utilidade de um acessório tão... invernal), minha mug cozy. é uma variação do tea cozy, que são aqueles "cobertores" para cobrir o bule de chá e mantê-lo aquecido. Acoplei um bolsinho, seguindo sugestão do meu assistente para assuntos ingleses, que pode carregar seu suprimento de biscoitos, uma colher, o saquinho de chá, o saquinho de adoçante, açúcar, enfim, o que puder levar. É legal no escritório, sem pingação  na mesa e colheres caindo... Já testei e aprovei, agora vou partir para a combinação de cores...




2 de fevereiro de 2012

Fim de semana artesanal - parte 3

O terceiro e último momento craft do domingo, a gola jabô Fendi. Eu vi no WTF e me apaixonei de cara, já estou sonhando com outono (depois de uma semana beirando os 15°C em pleno verão, para minha alegria, eu adoro meia estação). Não tenho feltro cinza mas mantendo a cartela de cores invernais, achei um moleton felpado violeta, que estava encostado no fundo do armário há anos. Cortei o molde e usei o lado da felpa, achei mais interessante. O molde é esse tamanho mesmo, mas farei uma outra gola com o molde ampliado, fica mais "frufruzão". No lugar de costurar os enfeites, ou colar, eu preferi usar um broche, já que perrmite variar bastante.

Costurei à mão e fiz os pespontos com linha de bordado, ao invés do ziguezague à máquina indicado no tutorial (ok, sei que daria um acabamento mais delicado mas achei que um toque Frankenstein ficaria menos certinho).

31 de janeiro de 2012

Fim de semana artesanal - parte 2

E vamos em frente à maratona handmade do fim de semana com as pulseiras de macramê que aprendi a fazer vendo o tutorial do WTF. Usei linha de bordado, linha de crochê, sei lá, o que apareceu e tinha uma cor interessante, eu usei. O legal é que ela só precisa de mãos e linhas pra ser feita, não necessita de fechos metálicos ou coisas do tipo, o que é bom para quem tem alergia ou mesmo pra cair no mar e na piscina (se bem que depois da trabalheira que foi fazer as 3 pulseiras, vou cuidar delas com muito carinho!).


30 de janeiro de 2012

Fim de semana artesanal - parte 1

Já faz algum tempo que o som da televisão me irrita de uma maneira intensa, e cheguei à conclusão que se não for para assistir um filme ou programa específico, simplesmente sentar e zapear os canais, é um tempo precioso desperdiçado. Se quiser descansar, vou dormir. Se quiser me informar, pesquiso na internet. Se quiser viajar na imaginação, leio um livro. Esse foi um fim de semana de imersão crafter e fiquei super feliz com o resultado: 4 novas pulseiras e gasto zero (todo material usado já estava encostado aqui há anos, os fios são da minha mãe!), o que já é uma economia e tanto, já que essas pulseiras podem sair bem caro. Decidi por em prática alguns tutorias que achei em blogs de crafts e, não é que deu certo? eu nunca havia feito mais do que 5 pontos de crochê numa tentativa frustrada de fazer uma correntinha, anos atrás, e desisti. Tinha esse paradigma de que ou a pessoa aprendeu desde cedo a tricotar ou já é tarde demais pra ter prática, e o crochê me pareceu impossível de ser entendido, aquele pontos enigmáticos para meus olhos absurdamente míopes. Mas não é verdade! Gente, eu CONSEGUI FAZER UMA PULSEIRA DE CROCHÊ  e me sinto realizada! Sorte de principiante? A segunda não vai dar certo? Não faz mal, eu vou continuar tentando porque agora eu deixei pra trás um dos meus grandes tabus e aprendi que nunca é tarde para aprender, qualquer coisa. O vídeo do SuperZíper foi o grande herói do dia, adoro ver as dicas delas. Essa é a minha pulseira pronta:
As outras pulseiras de macramê também made by my own hands!

E olhem que aula mais sensacional, também do SuperZiper, pra quem não faz idéia de como segurar uma agulha de crochê, como eu:

Amanhã mostrarei as pulseiras de macramê e de onde veio mais um tutorial bacana. Até logo!

24 de janeiro de 2012

Bad hair day solution

Todo mundo tem um dia de bad hair, independente de textura, cor e credo. Você simplesmente acorda sem tempo de lavar, ou dar um truque qualquer, e precisa estar com uma cara civilizada. Ou mesmo que não seja pela razão estética, mas por higiene, quando for cozinhar (para não cair cabelo na comida e também evitar cheiro de fritura no cabelo... tudo pode acontecer). Achei a solução perfeita: um turbante!Nesse blog são mostradas dicas incríveis e eu virei fã incondicional, já que os PAP (passo a passo)são super bem feitos. Bom, no meu caso eu tive que adaptar o lenço já que minha cabeça é meio grande uma canga (de flamingos, comprada na Renner uns anos atrás). Cangas são retangulares, então dobrei ao meio e depois na diagonal, pra fazer a forma do triângulo. Não fica um triângulo perfeito, claro, mas não compromete o resultado, já que as pontas você dá um acabamento, embutindo dentro do turbante. Eu adorei o resultado e ainda mais por ter achado um modo de usar essa canga de outra maneira (era sempre como echarpe). Ah, nem precisa comprar uma canga ou lenço, a idéia é usar o que tem, e já penso em cortar um quadrado bem grande de um tecido de algodão xadrez vichy para uso exclusivo culinário-vintage, ou combinando com o mesmo tecido de um avental bacana...

22 de janeiro de 2012

Vela de tangerina!

Acabei de ver e não resisti, tinha que postar essa dico super mega ecofriendly: vela feita com casca de tangerina e azeite de oliva. Esses dias conheci o Honestly...WTF (adorei o nome!) que é cheio de dicas incríveis de DIY (do it yourself, o faça-você-mesmo) e vi essa vela fofa, super fácil de fazer e ainda usando algo que iria para o lixo. Já imaginou fazer várias dessas e espalhar pela casa, num dia de festa? Ainda não testei, mas deve deixar um cheiro muito bom! O truque básico é retirar as bagas (ui!) da casca sem danificá-la, deixar o cabinho no fundo (ele será o pavio) e deixar a casca secar do dia pra noite (senão o pavio não acende). Depois é só colocar um pouquinho de azeite e acender sua vela.Veja como fazer.



21 de janeiro de 2012

Pimp my kitchen

Um dia desses faltou luz e eu fiquei apavorada de perder a ricota na geladeira, que por si só já estava quase vencida, decidi testar uma receita de stolen achada no meio da arrumação. Fico muuuuito feliz quando uma receita dá certo e, depois que voltei à São Paulo este ano, vim com uma bagagem de referências culinárias exóticas (sim, o Velho Continente é muito exótico aos nossos olhos tropicais). Enfim, o bolo deu certo, a luz voltou e tudo bem no final. Ah, cobrir o bolo com um paninho, é imprescindível, mas saca aquele velho e clássico paninho de cozinha batido bem sem graça? Que nada, o pano de cozinha da vez tem estampa de Marilyn! Fica lindo no fogão, cobrindo seus quitutes ou na mesa para aquele chá da tarde para seu convidado especial. Está lá na loja...
Ele ficou com uma cara tão boa quanto o sabor! Orgulho bom...


15 de janeiro de 2012

Casa organizada - parte 2

A chuva não dá trégua, algumas goteiras se manifestam, e os ânimos começam a esfriar... Pausa para o café! Sejamos positivos, vamos conseguir! Descobri uma solução perfeita para os livros que eu já havia separado, para serem doados (já que eu não imaginava que poderia ser fácil poder gerar uma renda com a venda deles!): é a Estante Virtual. Eu entrei para procurar uns livrinhos de segunda mão (tempos bicudos...) e vi que também posso anunciar os meus e vendê-los, uia! Já baixei o arquivo como formato do formulário a ser usado, me cadastrei e recomendo a todos: passem seus livros pra frente (aqueles que não são seus fiéis consultores), vendam ou doem. O que não pode é ficar parado na estante, comendo poeira. E é uma idéia de consumo consciente também, já que você adquire um livro que já foi usado, assim como roupas de brechó (que eu amo).



E por falar em brechós, minha paixão por charity shops:


Seventeen Evergreen - Polarity Song from Lucky Number Music on Vimeo.

4 de janeiro de 2012

Desafio da casa organizada

Primeiro post do ano! Passou a ressaca de tender e farofa e comecei a semana fazendo arrumação geral na casa. Estava lendo a TPM deste mês e segui à risca a matéria da Tania Menai, que sugere um bota-fora geral (de roupas, objetos, papéis e até pessoas do Facebook, segundo ela sugere, hehehe). Parece que o clima de arrumação impera e tenho visto dicas incríveis de reciclagem de objetos, truques baratos pra dar um jeito em algo que já cansou a paisagem doméstica. Comecei minha jornada de limpeza 2012, como sempre, pelo meu quarto (um reduto de pilhas de papéis, livros, roupas amontoadas na cadeira, que vergonha...), com muita fé eu acho que consigo organizar todos os armários e gavetas, limpar, aspirar, dar um pimp geral, em dois dias. Só que eu precisava de uma luz no meu caminho, um mestre jedi da arrumação e, uh-lala, eis que acabo de receber mais uma newsletter sobre um desafio de organização! Se chama The 52 Week Organized Home Challenge, que é um plano de 52 semanas para uma arrumação super detalhada em todos os cantos da casa. é coisa séria mesmo, e começa pela cozinha. Eu já comecei no quarto, mas vou seguindo com esses estímulo super bacana. Ponha uma música e viva as vassouras, panos e espanadores!

Google+